quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Gibson foge de helicóptero e ordenará que Tio compre um funcionário da Polícia Federal

Os agentes da Polícia Federal irão até o escritório de Gibson, na farmacêutica.
A secretária o avisará sobre a chegada dos policiais, esse é o momento que Gibson começará a enlouquecer definitivamente.
Gibson correrá para o heliponto, enquanto isso os agentes invadirão sua sala, e a encontrarão vazia. Eles irão para o heliponto e tentarão impedir a decolagem do helicóptero, mas não vão conseguir.
Para as cenas seguintes João Emanuel Carneiro, se baseou no filme A Queda, as Últimas Horas de Hitler (2004).
Gibson se reunirá com Tio e Mara em um casarão abandonado, quando Tio menciona a prisão de Fonseca, Gibson surtará.
"Eu não acredito nisso! Vocês são um bando de incompetentes! Um bando de inúteis! Eu queria mudar esse país, mas não dá pra mudar o Brasil se pra isso a gente tem que contar combrasileiro! Eu devia ter recrutado umexército na Sérvia! Na Bósnia! Na Síria! Mas não! Contratei esse bando de pangaré! Raça podre", esbravejará o chefe da facção criminosa.
"Se tão achando que acabaram comigo, tão muito enganados!  Eu vou virar esse jogo! Descobre quem é que tá no comando dessa operação lá na PF, manda US$ 5 milhões numa caixa de vinho com a ordem de dar sumiço nessas provas", gritará Gibson.
Mara perceberá que Gibson está perdendo a noção da realidade e tenta fazê-lo compreender a gravidade da situação.
Ela o avisa que seria impossível comprar alguém da Polícia Federal, claramente o censurando por ele ter deixado a situação ficar tão fora de controle.
Tio intervém e tenta dar uma sugestão ao Gibson, ele lhe diz que seria melhor fugir para longe.
Gibson perde a paciência, ao se sentir contrariado por alguém que está abaixo a ele, antes que Tio possa se esquivar Gibson lhe dá um soco.
"Nada é impossível pra mim! Esse foi pela sua incompetência", dirá Gibson, que dará um segundo soco no subordinado. "E esse é pela sua insubordinação! Quando eu dou uma ordem é pra cumprir, não pra discutir! Liga já pra esse delegado, dá quanto dinheiro ele quiser, manda ele arquivar o caso e pegar a Kiki de novo pra mim! Vai! Que que você tá esperando?", falará, descontrolado.
Tio, sabendo que morrerá de qualquer forma, se negará a cumprir sua ordem. Então, Gibson pegará um revólver.
"Eu sei que é difícil de aceitar, doutor Gibson, mas não tem sentido ligar pra esse cara", continuará Tio. O empresário dará a arma para Mara e mandará ela matar o "irmão".
"É uma ordem! Já! Mata esse imbecil! Executa esse vira-lata! Não tem coragem? Bando de imbecil! Bando de frouxo! Vocês nunca vão ser ninguém! Vão morrer assim, morto de fome, porque vocês não merecem nada! Nada! País de bosta! Povinho ordinário ! Não aguento mais", vai vociferar o chefe da facção criminosa.
Ele sairá, mas Mara não cumprirá sua ordem, para o alívio de Tio.

Essa é uma das cenas finais do capítulo do dia 5, último sábado.
Será que Tio aceitará essa humilhação, ou decidirá se vingar de Gibson?


Nenhum comentário:

Postar um comentário